Home - Últimas - A dívida do município de Fornos de Algodres “vai levar gerações a resolver”

A dívida do município de Fornos de Algodres “vai levar gerações a resolver”

O presidente da Câmara Municipal de Fornos de Algodres, Manuel Fonseca, disse ontem que autarquia consegue cumprir todos os encargos financeiros com a dívida gerada por executivos anteriores graças a uma gestão criteriosa. O autarca acredita que o problema da dívida vai levar gerações para ser superado.

“Estou aqui há dez anos. Quando entrei a dívida tinha sido feita pelo anterior executivo e todos os rácios estavam negativos. O que temos feito é no sentido de diminuir a dívida. Conseguimos honrar os compromissos todos os meses”, realça o autarca.

Manuel Fonseca reconhece que a dívida “é bastante elevada”, mas foi possível elaborar um plano que “permite ir pagando a longo prazo” e “satisfazer as necessidades básicas da população de Fornos de Algodres”.

O autarca salienta que tem sido feita uma “gestão criteriosa” para que se possa resolver “um problema que vai levar gerações a resolver”.

Segundo o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses, apresentado ontem, refere que 17 municípios ultrapassaram o limite de endividamento permitido por lei em 2021.

A lista é encabeçada por Vila Real de Santo António, no distrito de Faro, cujo índice (relação da dívida total com a média da receita corrente a três anos) atingiu os 647%. Seguem-se Fornos de Algodres (454%), no distrito da Guarda, Vila Franca do Campo (397%), na ilha de São Miguel, Açores e Cartaxo (367%), no distrito de Santarém.

Manuel Fonseca admite que há projectos que o executivo gostaria de concretizar e não pode por não ter capacidade financeira. O município também se vê limitado a recorrer aos fundos comunitários, sendo “necessário muito cuidado para verificar se há condições para assegurar a componente nacional”.

Manuel Fonseca sustenta que quem foi e está a ser “penalizado” com a situação são os munícipes. O município está obrigado a aplicar as taxas máximas. “Ainda agora, na Assembleia Municipal, tivemos de decidir pela maximização. São os munícipes que estão a pagar”, sublinha o autarca daquela vila do distrito da Guarda.

LEIA TAMBÉM

12,4 milhões de dívidas totais, mas presidente da CM de Tábua assegurou que vai continuar a investir

Panorama financeiro ruinoso da câmara de Tábua em evidência na última assembleia municipal “A situação …

“Com pequenos gestos podemos fazer a diferença”

O empresário Fernando Tavares Pereira juntou no Pombal naquele que foi o 4º Encontro do …