Home - Outros Destaques - Antigo Café Lareira reabre em Ervedal da Beira com novo nome e espaço de restauração

Antigo Café Lareira reabre em Ervedal da Beira com novo nome e espaço de restauração

O antigo Café Lareira, em Ervedal da Beira, volta a reabrir portas amanhã, depois vários meses encerrado, com o novo nome de “Café Tasquinha do Amaral”. A reabertura do estabelecimento é o resultado de um investimento das irmãs Catarina e Fátima Amaral, esta última proprietária de um restaurante na Suíça, juntamente com o marido João Ramos Amaral. O café, que se encontrava encerrado há alguns meses, foi alvo de uma profunda remodelação e passa agora a contar também com uma sala de restaurante. O negócio, diga-se, é também, para as duas irmãs, uma forma de homenagear o pai “que sempre teve o sonho de ter um estabelecimento” naquela localidade do concelho de Oliveira do Hospital, “mas nunca o conseguiu concretizar”.

A inauguração está prevista para as 18h00 de amanhã, com a oferta, entre outros petiscos, de uma grelhada mista aos convidados e “a quem quiser participar”. “Esta é uma forma das duas irmãs homenagearem o pai e de ajudarem a revitalizar o centro de Ervedal da Beira que tem cada vez menos serviços para oferecer à população”, conta João Ramos Amaral que está há 33 anos na Suíça a trabalhar na área da restauração. “Nós vamos voltar para lá e este negócio fica entregue à minha cunhada e à minha sogra”, conta.

O estabelecimento, recorde-se, foi conhecido durante cerca de três décadas pela personalidade do antigo proprietário do negócio Rogério Paiva, um sportinguista convicto, que conseguia, segundo aqueles que o conheciam, transformar o café num pequeno estádio de Alvalade durante os jogos da formação leonina, sem afastar os adeptos dos emblemas rivais. Com o seu falecimento, o estabelecimento passou por momentos turbulentos, acabando mesmo por encerrar.

“Passou a faltar algo aqui. Esta terra está a perder população e serviços e achámos que era importante fazer este investimento, para dar mais vida a esta localidade, e este é um local excelente para ter este tipo de negócio”, conta Catarina Amaral que a partir de domingo terá, juntamente com a mãe, a responsabilidade de gerir o novo negócio que vai funcionar diariamente das 7h00 às 23h00, sendo que o restaurante, com cerca de 40 lugares, irá servir refeições à base de peixes e grelhados, ao almoço e jantar.

LEIA TAMBÉM

Politécnico de Coimbra apostado na construção de novas instalações para a ESTGOH

O presidente do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) mostrou-se convencido que a Escola Superior de …

CDU chama a atenção para a falta de médicos em Oliveira do Hospital e para a necessidade de defender os sectores da produção nacional

Uma comitiva da CDU, integrando a candidata ao Parlamento Europeu, Luísa Silva e activistas locais daquela …