Home - Sem categoria - CM de Tábua contrai empréstimo de 1,2 milhões, oposição votou contra

CM de Tábua contrai empréstimo de 1,2 milhões, oposição votou contra

EDP vai explorar três novos postos de carregamento de veículos eléctricos na vila sem contrapartidas para o município

A maioria PS do executivo camarário, com os votos contra do PSD, aprovou ontem, quarta-feira, a contratação de um empréstimo financeiro de 1,2 milhões de euros para 2023, tendo sido escolhida a proposta da Caixa de Crédito Agrícola como entidade bancária entre as quatro que se candidataram a conceder esse montante, devido ao “spread” baixo mais vantajoso de 0,47 por cento.

O Presidente Ricardo Cruz justificou essa decisão com necessidades de financiamento de novos investimentos e outros que estão já a decorrer, mas a oposição, pela voz de Vítor Melo, contestou este empréstimo referindo que o mesmo não se destina a pagar as dívidas às instituições do concelho, mas a investimentos correntes do próprio Município, “não existindo equidade nos gastos”, exemplificando, que “mais de oitenta por cento do empréstimo reverte para a Câmara”, exemplificando, entre outros, com as aquisições e reparações de maquinaria, os gastos na Praça do Tribunal, a edição do Boletim Municipal, as luzes de Natal, publicidade, despesas com vigilantes, elencando o facto das dívidas totais da edilidade já ultrapassarem os 12, 7 milhões, “quase o valor das despesas correntes deste ano”.

Ricardo Cruz respondeu tratar-se de “opções, fazemos aquilo que achamos que melhor serve os interesses dos tabuenses, foi para isso que nos mandataram”, salientando a necessidade de haver recursos financeiros a fim de proporcionar uma “melhor qualidade de vida aos tabuenses e de corresponder às necessidades em todo o concelho”.

“É alarmante pois está a hipotecar-se o futuro dos tabuenses em 20 anos, pois empurrarmos com a barriga vai ser pior, pois vamos pagar 350 mil euros de juros, é muito dinheiro”, sustentou o vereador social-democrata.

Uma outra questão alvo de discussão respeitou à instalação de 3 novos locais na vila para carregamento de veículos elétricos, tendo a oposição do PSD contestado o facto de a EDP, que é a entidade que vai gerir esses postos, ter ficado isenta de pagar taxas durante dez anos, ao “passo que quando um tabuense necessita de fazer obras, tem de pagar taxas e empresas deste volume ficam isentas”. Ricardo Cruz retorquiu com as soluções de mobilidade e de redução de CO2 e essas parcerias inserem-se nessas necessidades dos tabuenses sem qualquer investimento.

LEIA TAMBÉM

Queijo Serra da Estrela é o quinto melhor do mundo para a TasteAtlas

O Queijo Serra da Estrela foi considerado o quinto melhor queijo do mundo num universo …

Dispositivo de protecção civil na Serra da Estrela pode chegar aos 100 operacionais

O Plano de Operações Nacional da Serra da Estrela conta, diariamente, com 18 elementos, um …