Home - Outros Destaques - “Isto é proteger e valorizar a actividade da fileira do queijo”

“Isto é proteger e valorizar a actividade da fileira do queijo”

Presidente da CM de Oliveira do Hospital defendeu classificação do Queijo Serra da Estrela como Património Cultural Imaterial da Humanidade

Os municípios da zona demarcada do Queijo Serra da Estrela estão empenhados em elevar aquele produto a Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO. O empenho nesta iniciativa foi mais uma vez anunciado pelo presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital durante a abertura da Festa do Queijo daquele concelho. José Francisco Rolo assegurou que os municípios do habitat onde se desenvolve esta actividade, a Ancose, a Estrelacoop, bem como todas as entidades ligadas ao sector, estão unidos nesse projecto regional.

“Isto é proteger e valorizar a actividade de quem trabalha de manhã à noite, faça sol, chuva, frio ou calor”, frisou o autarca, para quem o queijo Serra da Estrela tem de ser promovido, protegido, acarinhado e reconhecido. É uma das sete maravilhas da gastronomia portuguesa e porque, em 2023, foi considerado um dos dez melhores queijos do mundo”, sublinhou o autarca, que classificou o evento oliveirense “como um hino aos pastores e queijeiras”. “É também a oportunidade de promover um produto de elevada qualidade que tem de continuar a ser valorizado. O seu preço tem de continuar a aumentar”, sublinhou.

José Francisco Rolo sublinhou ainda que há necessidade de proporcionar apoio técnico e estar próximo dos produtores. Lembrou também que há possibilidade de surgirem novos meios de elevar o valor deste produto. “Há sinais que se vislumbram no horizonte, como um Programa de Valorização Económica dos Recursos Endógenos (PROVERE) para a fileira dos queijos DOP da região Centro. No âmbito do Política Agrícola Comum é importante valorizar esta actividade”, continuou.

O presidente da autarquia oliveirense defendeu ainda que a actividade não se resume à produção do queijo e outros produtos. No seu entender, a pastorícia é uma das formas mais eficazes de prevenir os incêndios. “Terrenos ocupados com pastores e rebanhos promovem a biodiversidade e são uma primeira linha eficaz de defesa contra os incêndios. São territórios protegidos. E os pastores devem ser pagos por isso”, frisou, na abertura de um evento que contou com muitas dezenas de expositores e alguns milhares de visitantes. O autarca, mais tarde, considerou o evento um sucesso e admitiu que poderá nas próximas edições passar de dois para três dias.

Queijarias espanholas presentes em Oliveira do Hospital: “É importante para dar a conhecer os nossos produtos”

A Festa do queijo Serra da Estrela contou com dois expositores provenientes de Espanha. Um da Galiza e outro de Alicante. Expondo diversos tipos de queijos. De cabra e ovelha. Com sabores. Como o queso azul ou o queso com arándanos (mirtilos) ou maçã.

“São muito diferentes do queijo Serra da Estrela que é único, como os nossos também são únicos e também são artesanais. Mas aprecio particularmente o queijo Serra da Estrela que tem uma qualidade superior àqueles similares produzidos em Espanha”, conta José Ignácio estabelecido em Orense e que compra o leite a diversas cooperativas para produzir o queijo da empresa Gaiagourmets. “É mais prático”, confessa.

Sobre o evento de Oliveira do Hospital refere que já no ano passado marcaram presença e assegura que a meio do evento tinham esgotado por completo o produto. “É muito boa esta festa”, conclui.

LEIA TAMBÉM

Alvoco celebra os 50 anos do 25 de Abril com várias iniciativas

“Alvoco sempre foi uma terra onde a Democracia se preservou. Com estes eventos que iremos …

ESTGOH e ESEC lançam mestrado conjunto em Gestão em Turismo e Inovação Territorial

A Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC) e a Escola Superior de Tecnologia e …